Inacreditável pensar que já se passaram dois anos de um dia inesquecível: a minha chegada na Holanda.

Sair do Brasil foi uma decisão que mudou a minha vida em todos os sentidos, e a cada dia, a certeza de que encontrei o meu lugar no mundo é confirmada. Louco, né? Tudo aconteceu no tempo certo e tive a oportunidade de viver essa experiência na companhia do meu parceiro de vida. Aliás, sem ele, nada disso teria sido possível.

A ideia de sair do nosso país e refazer a vida em outro lugar era um sonho relativamente distante, mas que frequentemente aparecia em nossas conversas e planos para o futuro. O curioso é que em momento algum esteve relacionado com a Holanda, país que eu nem conhecia antes de chegar, literalmente, de mala e cuia.

Hoje eu moro em Den Haag, mais conhecida como Haia aí no Brasil. É uma cidade muito especial, que me conquistou desde primeiro dia em que pisei aqui. Acho que posso dizer que sou uma pessoa de muita sorte! Ainda hoje passo por cantinhos da cidade que fazem meus olhos brilharem e por construções grandiosas que me fazem sentir dentro meus livros de história.

Após 2 anos, ainda não falo o idioma local, arranho algumas palavras e já consigo me virar, mas confesso não sei se um dia vou conseguir de fato aprender. Ainda assim, percebo que aos poucos vou me adaptando aos costumes locais e me integrando mais nesta cultura com simplicidade, de pessoas diretas e de uma vida sem “frescura”.

Criei uma nova rotina, encontrei um trabalho que adoro e, mesmo nevando, tento manter uma rotina de exercícios físicos. A escuridão do inverno já não é mais tão assustadora, 17ºC já me fazem sentir no verão; a bicicleta substituiu meu carro sem nenhum sofrimento; e a ideia de luxo mudou completamente. A sensação de segurança ao sair de casa – independente do horário – é algo que nem sabia como era. Acredito que eu possa dizer que levo uma vida tranquila, simples e bastante ativa.

É claro que nunca deixarei de amar o meu país. Sinto uma falta absurda dos meus pais, do meu peludo velhinho, da minha família e dos meus amigos. Eu realmente, também era feliz no Brasil. Nunca deixaria de valorizar o lado bom de estar no país da gente com as pessoas que amamos e com os nossos costumes. Porém, as boas memórias estarão sempre no meu coração, e sei que certamente voltarei sempre que possível para visitar e construir novas lembranças e viver novas emoções ao lado das pessoas queridas.

Enfim, o destino decidiu por mim. Embora tenhamos passado por diversas dificuldades ao longo deste caminho, amo viver no velho continente, me apaixonei perdidamente pela Holanda e me sinto em casa, acolhida como nunca pensei que me sentiria.

Se pudesse dar um único conselho para quem tem vontade de tentar a vida em outro lugar do mundo, sem dúvidas, este conselho seria: Vai fundo! Tenta! O Brasil sempre será nosso país e se a mudança não te fizer feliz como fez a mim, sempre é possível voltar. Não é vergonha dar um passo para trás. O que posso garantir é que ainda que você decida voltar “para casa”, depois de tudo, terá vivido algo que mudará sua forma de ver e pensar. A experiência e o aprendizado ficam para sempre na memória, e no coração.

Foto: Alex Maesquita (intagram: aalex_mesquita)

Texto: Juliana Lima