Olha que bacana: a coleção de guardanapos do poeta Fabrício Carpinejar ganhou as páginas de um livro e o autor lança o seu “Liberdade na vida é ter um amor para se prender” na Feira do Livro de Porto Alegre neste sábado (11 de novembro).

A publicação, da editora Belas Letras, reúne oitenta frases escritas à mão e impressas bem como foram concebidas, em uma edição multicolorida, com páginas destacáveis!

Manto dos poetas e dos músicos – como define o autor nas primeiras páginas do livro – o guardanapo é o papel mais apressado, mais à mão para anotar uma ideia ou memorizar uma rima:

– Em seu uso, existe uma transgressão, a própria negação de sua utilidade: serve para limpar a boca, só que é redirecionado para resgatar uma frase do alto teor alcoólico e dos riscos de esquecimento da ressaca. Há um paradoxo delicioso em mudar a sua necessidade, pois o guardanapo é destinado ao descarte e acaba servindo para imortalizar instantes imprecisos da língua e declarações ansiosas de paixão. Trata- se de uma trapaça intelectual: o que era para ser fugaz permanece. A eternidade é enganada. O que era para ser amassado e posto fora fica guardado como uma prova de que a noite não foi uma invenção, muito menos os amores – escreve Carpinejar.

Liberdade Na Vida É Ter Um Amor Para Se Prender

Sábado, dia 11 de novembro, a partir das 17h

Praça de autógrafos da Feira do Livro de Porto Alegre – Praça da Alfândega, Centro Histórico

 

Foto: Rodrigo Rocha/Divulgação