“Quando o vento sumiu” me chamou a atenção pela capa na cor amarelo vibrante e com uma bicicleta azul. Logo em seguida, o nome. Achei ótimo. Adoro o vento no rosto, me ajuda a pensar, me traz paz, me traz força. Só de imaginar que o vento poderia sumir, fiquei pensativa. Ao virar o livro, percebi que se tratava da história de três amigos, no Rio de Janeiro. Lembrei na hora, do meu romance Transbordei, com três amigos, em Porto Alegre. Só a faixa etária que mudou, no mais, histórias de amizade me fascinam. Ponto pra ele. Tive que levar e passá-lo na frente dos outros, foi paixão a primeira vista.

A autora, Graciela Mayrink, eu ainda não conhecia. Gostei dela. O romance me lembrou uma novela. Sabe aquela velha história: Mateus gostava de Suzan que gostava de Renato que não gostava de ninguém? Exatamente. Só que de simples, não tem nada. Ela conseguiu transformar esse clichê em um ótimo livro, cheio de altos e baixos.

Os três amigos que se conhecem desde a adolescência, pois estudaram na mesma escola, agora compartilham da mesma universidade, na Barra da Tijuca, no Rio. E se passa entre a praia, as aulas, a cantina e as festas. A amizade deles me emocionou. É pura e verdadeira. Cheia de sinceridade. Sem artimanhas, nem constrangimentos.

Cada um com seus problemas, seu estilo de vida, mas com uma coisa em comum: um coração grande e a vontade de dar certo, de se sentir especial, de ser feliz. Assim fica fácil se identificar, não é mesmo?

O livro é leve e a narrativa flui com uma linguagem de fácil absorção. Graciela traz à tona a literatura juvenil, que é uma delícia e deveria ser lida por muitos pais. Os dilemas, as reflexões, os entremeios da vida desses três jovens, são comuns a todos nós. Pois já tivemos vinte anos, também. Cada um a sua maneira. E o melhor de tudo, ela nos dá a escolha de dois finais possíveis. Eu escolhi o meu. E você?

Quando o Tempo Sumiu

Serviço:

Autor: MAYRINK, GRACIELA

Idioma: PORTUGUÊS

Editora: L&PM EDITORES

Assunto: Romances

Edição: 1

Ano: 2015

Investimento: R$ 35,00

 

Sobre o Autor

Cris Lavratti

Libriana, publicitária, espiritualizada e intensa. Às vezes ácida. Às vezes doce. Sou apaixonada pela vida. Amo as palavras e o sentimento que são capazes de despertar. Falo com o coração. Acredito na simplicidade, na amizade verdadeira e no olho no olho. Para mim, a inteligência, o pão e o vinho são afrodisíacos incomparáveis. Sou assim, desse meu jeito. Deixo vir. Fujo. Me jogo, me travo, me fixo. Quem sabe um dia, eu me ache? No cotidiano, algumas escolhas. Para relaxar: Música. Para acreditar: Deus. Para harmonizar: Natureza. Para contemplar: O mar. Para praticar: O amor. E para amar: A vida. Publicada nas antologias Santa Sede – Crônicas de Botequim – Safra 2012; Poemas à Flor da Pele; e no blog Olhar do Cotidiano.