A falta de sensibilidade é algo que ainda me choca. Porque o mais fácil é respeitar, tratar bem, cuidar, ter carinho, amor no coração e demonstrar esse amor. Não entendo porque alguns precisam “escrachar” situações bizarras somente para magoar os outros. Autoafirmação? Será?

É comum vermos relacionamentos indo por água abaixo por causa dessa tal “autoafirmação” e o pior é que quem a carrega nem se dá conta de que esse mal já persegue sua vida há tempos. Afinal, quem engana, engana a si mesmo, e não ao outro.

Sábios são aqueles que conseguem perceber que estão nessa e tentam de alguma forma se libertar das amarras. Sábios são os que despertam e tentam fazer diferente.

Não entendo o por quê dessas atitudes? Será que é o vício da discussão, da briga e da intriga? O conflito precisa estar sempre presente? Para quê? Para que vivamos na intranquilidade?

Chega de tanta mazela, de tanta maldade. O mal passeia por vários graus: uns menos cruéis e outros que são pura crueldade. Usar é cruel. Não somente com quem recebe, mas muito com quem pratica.

Homens e mulheres que têm essa necessidade estão doentes, doentes da alma e da mente. É terrível quando a gente se boicota e perde algo que poderia ser o céu, simplesmente por não conseguir manter uma relação de respeito.

Dizem que o mundo está fácil e que as pessoas estão fáceis e não querem se comprometer “da boca pra fora”, mas no fundo mesmo isso não é real. E nessa de brincar com os sentimentos, vão se perdendo cada vez mais na ignorância de uma vida incompleta.

Que amor sobrevive a essas intervenções?

Ao menos, manter o coração em paz e agir de acordo com a essência de amor que pulsa no coração de cada um, já é meio caminho andado. Pois, por mais que o sofrimento aconteça, sabemos que estamos agindo corretamente.